segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

BH - Trilhas com o Bike-BH

O Bike-BH é um excelente grupo de bikers que curtem pedalar por trilhas, especialmente aquelas onde somente passa um bike por vez (single track), nas regiões e cidades próximas à BH. Às vezes também fazem passeios para outras cidades mais longes, estados, países e até continentes!


Registro bem legal de vários integrantes do Grupo Bike-BH feito em 2013

Normalmente o combinado era aos sábados ou domingos, estar até 7 hrs da manhã, no local de partida (normalmente uma cidade próxima), para pedalarmos por trilhas já conhecidas. 

O grupo era bem variado: tinha novos e experientes, alguns com bastante grana, outros ainda batalhando, maioria era homem, mas existiam vários pontos em comum: alegria, disposição, companheirismo, vontade de pedalar e curtir a natureza.

Pedalando pelas Serras de Minas
Tinha um biker que costumava me dizer: "Biker, você está pedalando onde nenhum Biker pedalou anteriormente" (só que ao invés de Biker, usava meu nome real, que é bem diferente, e certamente nenhum outro xará teria pedalado por lá anteriormente :).

Apesar de ser um dos mais novos e com bastante fôlego, mas sem muita técnica, além de uma bike bem pesada, tinha que me esforçar bastante para conseguir acompanhá-los. Conheci muitas trilhas legais, serras maravilhosas, cachoeiras, visuais lindíssimos. Tudo isso pedalando!

Em uma das trilhas mais legais que fiz com eles, tive um problema com a bike e quase um acidente por causa deste problema.


Banhos em cachoeiras eram frequentes
Nesse dia fomos trilhar próximo à uma cidade um pouco mais distante de BH. Era uma trilha nova para mim, apesar de ser bem conhecida pelos experientes do Grupo. Estava conseguindo acompanhá-los bem, até que os passadores de marchas estragaram. Optei por deixar a corrente somente na coroa e na catraca do meio. Infelizmente, nos locais onde a subida era muito forte, ficava quase impossível subir pedalando. Aí eu descia da bike e subia empurrando-a e andando rápido ou correndo na medida do possível. A galera me aguardava no alto dos morros para prosseguirmos.

Como estava sempre ficando para trás, numa descida forte, ao tentar tirar a diferença aumentando a velocidade, calculei mal uma curva com terreno escorregadio. A bike derrapou e cheguei a sair no meio da curva, quase despencando num barranco. Levantei, removi um pouco do barro que estava em mim e na bike e comecei a empurrá-la, pois do outro lado da curva era um subidão. Atrasei tanto que um biker voltou, vindo me procurar. Contei para ele o motivo e depois para o grupo. Decidiram não me deixar mais para trás, até terminarmos a pedalada. :)

Ficaram ótimas lembranças de vários pedais e até hoje participo do Grupo Bike-BH, infelizmente agora só de forma virtual, lendo as mensagens e admirando as fotos, pois estou bem longe desta galera animada!

Pedalei!
Alguns integrantes junto com um cão trilheiro

Alguns fazem pedais internacionais, como este pedalando pelos Andes

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

BH - Fui na excursão por causa da bike

Aproveitando a parada forçada, em função da recuperação após a cirurgia, resolvi voltar a escrever minhas memórias ciclísticas, continuando com os casos das pedaladas em BH.

Espero que curtam! :)


Quando eu estava cursando o 2o ano de Informática no CEFET-MG, o coordenador conseguiu 2 excursões para o estado de São Paulo, onde as turmas do 2o e do 3o ano poderiam participar: metade de cada turma iria na primeira viagem para Sumaré-SP, visitar a fábrica da IBM e a outra metade das turmas participaria de uma Feira de Informática na capital em São Paulo.

Fui sorteado para a primeira viagem. Foi muito legal e tinha gostado muito! Só que, a segunda viagem estava prestes a ser realizada e estava com muita vontade de ir também, principalmente porque alguns alunos do 3o ano estavam em vias de desistir, pois teriam uma prova bem difícil no dia seguinte à chegada da excursão. Além disto, meus amigos mais próximos iriam nesta viagem. Tentei conseguir alguma vaga, mas não tive sucesso. O jeito foi me conformar.


Turma da Excursão à IBM


Estava estudando e escutando rádio e me lembro de ter olhado para o relógio quando marcava 21 hrs, horário da saída da excursão. Cinco minutos depois, toca o telefone: uma amiga, de um orelhão próximo onde o ônibus que levaria os alunos estava parado, me perguntou se eu ainda queria ir, pois tinha aparecido uma vaga, mas precisaria estar lá em 15 minutos, pois o ônibus já estava de partida. Perguntei se não podia ser ao menos 20 min e ela disse que não, pois o coordenador tinha falado 15 min. Fui da felicidade total ao completo desânimo. Quase consegui viajar. E logo quando já estava conformado em não ir, a esperança renasceu, mas morreu instantaneamente. :(

Três minutos depois ela me ligou novamente: o coordenador autorizou 20 min, mas nenhum à mais!

Parei o que estava fazendo, peguei uma mochila, joguei uma muda de roupa e uma blusa, um pouco de grana, carteira de identidade, escova e pasta de dente e liguei para minha tia que morava próxima do CEFET, onde pretendia deixar a bike. Disse-me que poderia passar por lá e deixar a bike. Deixei um bilhete para os meus pais, peguei a bike e saí pedalando à toda! Normalmente, quando pedalava forte, levava cerca de 20 min para chegar. Neste dia me superei e levei cerca de 15 min para chegar à casa da minha tia, onde deixei a bike. Saí correndo e gastei uns 3 min para chegar ao local, cansado e suando :), 22 min após minha colega ter ligado.

Ainda bem que o ônibus estava por lá e conseguir viajar numa das melhores excursões de colégio que já participei, graças à bike! Provavelmente, nem de carro chegaria tão rápido!


Amigos da excursão à São Paulo - Capital


Pedalei!

sábado, 16 de novembro de 2013

Pedalando para o Trabalho - Percursos diferentes e Parada

A semana começou ótima para se pedalar. Pena que não pude terminá-la como planejava.

Um vento amigo em alguns trechos e lateral em outros momentos foi destaque na pedalada de ida para o trabalho, me ajudando a fazer uma alta média de velocidade (29.4 km/h em 54 min e 30 seg).

Aproveitando o horário de verão, resolvi mudar o trajeto de volta, com o objetivo de encontrar a tampinha e a ruela da câmera nova que havia trocado na pedalada do dia anterior. Saí em direção ao Rio Vermelho, pedalando pelo Morro da Lagoa e pelo Mirante da Praia Mole. Após chegar ao Rio Vermelho, mudei o trajeto, passando por uma estrada de terra que me levou à Vargem Grande ao invés de ir para os Ingleses. Na Vargem Grande, pedalei até o local que havia trocado a câmara no dia anterior e, no meio da estrada de terra, encontrei o que procurava. Descansei um pouco e voltei a pedalar, chegando em casa pouco depois, tendo pedalado por quase 39 km em 1 hr e 47 min. Foi muito bom! :)

Na terça feira também havia um vento amigo, mas bem fraco. Encontrei com o biker dos Ingleses perto do Morro do Desmoronamento (Cacupé), quando ele me ultrapassou. Pedalamos juntos até o Morro do Cemitério, cerca de 4 km, quando ele subiu mais rápido e se distanciou. Com menos de uma hora cheguei à empresa.

A volta foi em dupla com meu amigo de treinos da empresa até o trevo de Cacupé (uns 9 km), quando ele retornou. Ao invés de voltar pelo caminho normal, resolvi esticar até Canasvieiras e Cachoeira do Bom Jesus, onde subi o muito íngreme morro até o Mirante, chegando em casa pouco depois após 31 km pedalados no total.

Infelizmente, a semana de pedalada e provavelmente o ano, acabou para mim no dia seguinte, quando rompi o tendão de aquiles jogando futebol :(

Pedalei e me arrebentei :(




domingo, 10 de novembro de 2013

Trilha com Muitas Emoções!

Não, não foi uma trilha que pedalamos junto com o 'Rei Roberto Carlos', mas tivemos muitas emoções, até mais do que gostaríamos! :)

Resumidamente: pneu furado na saída, espera de biker, estradão, erro de entrada na trilha, troca de câmara, trilha, tombo, lindas paisagens, pitanga, trilha inexistente no sítio, quase atropelamento, MALtorista bêbado na contramão, injúria, ameaça, viatura policial, amigo de treino, vento contra e pedal forte. Se isto é o resumo, então, para explicá-lo, precisarei de algumas várias linhas :)

Por motivos alheios a minha vontade (quem tem um bebê em casa certamente entende essa frase :), já estava um pouco atrasado, quando fui pegar a bike e constatei que o pneu estava furado. Duas opções: demorar mais uns 15 a 20 min para trocar a câmera ou encher um pouco, torcer para não esvaziar rapidamente e sair pedalando? Optei pela segunda opção e #partiprapedalar.

Chegando ao ponto de encontro, pedi desculpas, expliquei o ocorrido, calibrei o pneu novamente e saímos pedalando em direção ao Rio Vermelho, onde encontraríamos um outro biker. Estávamos num grupo de 4 ciclistas (2 mulheres e 2 homens). Fomos num ritmo tranquilo e chegamos, uns 5 min depois do horário combinado, no ponto combinado. Entramos em contato com o outro biker e ele disse que ainda demoraria uns 20 min para chegar. As garotas aproveitaram para se adiantarem, uma vez que teríamos um bom morro pela frente e elas queriam pedalar num ritmo mais tranquilo.

Quando o outro biker chegou, fomos os 3 em direção ao morro, Disse-nos que atrasou pois havia esquecido a câmera fotográfica e voltou para buscá-la (ainda bem, pois tirou fotos muito legais durante a pedalada). No topo do morro, encontramos as gurias e o grupo ficou completo. Pedalamos em direção à trilha na Vargem Grande.

Por não saber direito onde ficava a entrada da trilha, acabamos passando, sem perceber, por ela. Ao chegarmos ao fim da rua, resolvemos parar para umas fotos e tomar uma água. Aproveitei para trocar a câmera, pois o pneu já havia esvaziado novamente. Já havíamos decido ir pelo asfalto, quando um morador nos explicou onde a trilha começava e, desta vez, perto de onde estávamos, conseguimos encontrá-la! :)





Empurramos no início da trilha, numa parte de subida e pedalamos um pouco antes de chegarmos ao topo. Eu e as garotas resolvemos empurrar trilha abaixo, pois havia muitas pedras. Os dois arriscaram e um "comprou um terreninho" por ali, tomando um tombo e tendo alguns cortes na parte de trás do braço esquerdo, para se recordar :). Finalizamos a trilha na Vargem Pequena e partimos em direção a Ratones, aproveitando para apreciar lindas paisagens.
Trecho de subida da trilha
Empurrando trilha abaixo

Encontramos o sítio em Ratones cujo proprietário disponibilizou para pedalarmos por uma trilha existente na mesma. Apesar dele não estar lá, deixou as instruções de como poderíamos entrar e onde a trilha ficava. Entramos e, no caminho para a trilha, uma parada para comer pitangas! :) Continuamos até o que acreditávamos ser o final de uma trilha e resolvemos ir embora (no dia seguinte é que fiquei sabendo que não encontramos a trilha, após trocar mensagens com o proprietário).


Não encontramos a trilha, mas achamos pitangas madurinhas! :)



Começamos a fazer o caminho de volta para casa, quando, ainda no Ratones, vimos um quase atropelamento de uma biker, causado por um MALtorista bêbado que estava estacionado no meio da pista de rolamento e na contramão, papeando com amigos, em frente a um bar. Tentamos conversar, mostrando o quanto ele estava errado e que havia quase causado o atropelamento da ciclista e possivelmente a morte dela.

Ao invés de admitir o erro e estacionar num local adequado, ele e os amigos dele, que já aparentavam estar bêbados por volta das 10:30 da manhã, começaram a nos xingar e ameaçar, dizendo coisas como:

- Saiam daqui que este é bairro é nosso e a gente faz o que quiser.
- Não aconteceu nada, mas se tivesse acontecido, ela devia morrer, pois ciclista tem 'tudo que morrer'.
- Aqui é nossa comunidade, nós somos todos amigos. Vocês são de fora e vem aqui só para pedalar. Vão embora.
- Saiam daqui seus bundões. Ciclistas são todos um bando de bundões. Vai embora logo.

Nós cinco começamos a ir embora. Um voltou e tentou argumentar. Logo retornou e viu que era impossível. Alguém cogitou chamar a polícia e eu decidi contactá-la. Atenderam de primeira a ligação e relatei o ocorrido. Finalizei dizendo que sabia ser difícil para a polícia atender este chamado, mas estava fazendo um alerta para tentar evitar algum grave acidente. O atendente disse-me que mandaria uma viatura. Pedalei um pouco mais forte, alcancei os outros bikers e falei sobre a ligação. Ninguém achava que a polícia apareceria, mas todos acreditavam que tínhamos feito nossa parte.

Quando estávamos chegando à SC-401, uma viatura da polícia militar entrou no trevo em direção a Ratones. Fiquei olhando e imaginando se era para atender nosso chamado.  A viatura parou e fomos lá perguntar. Tivemos uma grata surpresa, pois eles estavam a caminho. Demos mais indicações do local e falamos mais sobre o ocorrido. Agradecemos a atenção e eles foram embora. Minha vontade era acompanhá-los e saber o fim da história, mas acabamos rumando para casa de "alma lavada". :)


Ao entrarmos na ciclofarsa da SC-401, encontrei com meu amigo de treinos lá da empresa. Ele estava de speed e finalizando um treino. Conversamos um pouco e ele logo retornou.

Casal de bikers antes da primeira trilha
O restante da pedalada foi com vento contra. Faltando cerca de 7 km, agradeci a presença dos bikers pelo ótimo passeio, me despedi e saí pedalando forte, pois estava bem atrasado.

Cheguei em casa pouco depois. No geral, a média foi baixa, a quilometragem foi média, mas as emoções foram muitas! :) 

Foi um Pedal Show de Bike! Daqueles que a gente fica com vontade de repetir, mas sem a parte do estresse! :)

Pedalei!



sábado, 9 de novembro de 2013

Pedalando para o Trabalho - Treinos, Garoas e Chuvas

Semana com somente duas pedaladas e com treinos, garoa e chuva no segundo dia.

Iniciei a semana de pedalada na terça feira, aproveitando um bom clima, sem vento e pedalando num ótimo ritmo durante a ida. Só não foi perfeito pois, faltando uns 500 m para chegar à empresa, um ônibus me fechou, quando foi desviar de um acidente que tinha acontecido na pista onde ele trafegava. Tive que quase parar, para não acontecer nada. Logo em seguida terminei minha pedalada.

A volta foi junto com meu amigo de treinos (com uma speed), onde aproveitamos o bom vento amigo e fizemos uma alta média de velocidade até o trevo para Jurerê, quando ele seguiu outro caminho. Consegui manter a média alta e fiz o segundo melhor tempo e a segunda maior média de velocidade do ano.

O outro dia foi na quinta feira. Pedalava num bom ritmo, quando encontrei com meu amigo de treinos, no TISAN, e começamos a pedalar em dupla (ele de speed). Não demorou muito iniciou uma garoa que logo se transformou em chuva e depois parou. Chegamos molhados à empresa.

Estávamos, eu e meu amigo de treinos, iniciando o retorno, quando ele sugeriu que subíssemos o Morro da Lagoa, descendo em seguida, antes de continuarmos nosso trajeto. Para mim não foi muito fácil, mas fizemos isso! :) Após a passagem pelo Morro da Lagoa, continuamos pelo percurso costumeiro (pela SC-401). Entretanto, na descida do Morro do Cemitério do João Paulo, avistamos chuva mais à frente. Meu amigo resolveu retornar e eu segui. A chuva não estava tão forte e nem foi por muito tempo. Continuei num bom ritmo e terminei a pedalada molhado e feliz! :)

Pedalei!


domingo, 3 de novembro de 2013

3, 6 e 12 horas MTB Bombinhas - Relato de Participação

Depois de mais de 6 meses, novamente participei de uma competição. Só que num formato inédito para mim: formamos, eu e mais 3 bikers, uma equipe, chamada Rastros, que competiu na modalidade Quarteto - 6 horas na Competição 3, 6 e 12 horas MTB Bombinhas, realizada no dia 2/11/13.

Peguei carona com um dos integrantes da equipe, saindo de Floripa e chegando na Praia de Mariscal, local da competição, por volta das 10:00 da manhã. Pouco depois chegou mais um biker da equipe. Como a prova iniciaria ao meio dia, teríamos um tempinho. Primeiro fomos buscar os Kits dos Atletas (número, chip, camisa) e nos instalar, arrumando um bom local para nós e nossa 'equipe de apoio' ficar.

Terminada a instalação, fui conhecer um pouco a praia, pois tinha a sensação que não voltaria depois, em função da competição. Estava certo! :)



O quarto integrante demorou um pouco, mas chegou a tempo de fazermos uma volta de reconhecimento, onde conhecemos o percurso e constatamos que o vento daria muito trabalho, o que acabou acontecendo.



Ao terminarmos a volta, fomos assinar a súmula e conversarmos sobre estratégias de prova. Como os competidores da prova de 12 horas (que na verdade passou para 10 hrs em função de segurança dos bikers) estavam dando voltas no percurso, decidimos observar como funcionava a troca entre os bikers de uma equipe e decidimos que faríamos de uma forma que todos participariam, semelhante á Formula 1!

Estratégias: o primeiro a sair foi o mais bem preparado entre nós. Teria que pedalar, pelo regulamento, pelo menos 3 voltas seguidas, sendo que a partir da quarta volta estaria liberada a troca de bikers. Cada biker seria responsável por definir se daria uma ou mais voltas, dependendo de sua condição física. A ordem dos bikers que iriam pedalar seria a mesma até o fim da prova (a não ser que algo viesse a impedir).

Pit Stop: ficávamos controlando o tempo do biker para, cerca de 2 a 3 minutos antes da vinda do mesmo, nos prepararmos para a troca, que procedia desta forma:
. o biker que sairia pedalando ficava sentado na bike e já pronto para iniciar a volta;
. outro ficava segurando a bicicleta e dava um impulso;
. assim que o terceiro biker pegava a tornozeleira do biker que chegava e colocava no biker que estava prestes a sair, gritando "Vai, vai, vai!" :) assim que terminava a troca. 

Ficávamos à postos. Se o biker que vinha decidisse continuar, voltávamos para nossa área de descanso.




Competição:

A largada para as 6 horas começou com uma volta neutralizada, que poderia ser acompanhada por todos da equipe, mas somente um de cada equipe poderia passar pela linha de chegada. A partir dessa passagem "o bicho pegava" :). Nosso primeiro competidor foi sozinho, pois já havíamos feito o reconhecimento. No final da volta neutralizada, ele passou um pouco distante do pelotão de elite, mas estava junto com outros bikers que pedalavam forte.



Próximo ao final da 3a. volta, nos preparamos pela 1a. vez para a troca. Adrenalina alta, tensão, expectativa: estávamos "pilhados" quando nosso amigo apareceu. Ao se aproximar, fez sinal que continuaria por mais uma. Nos relaxamos e fomos descansar. Quase oito minutos depois, estávamos preparados outra vez para a troca e novamente tensos. Desta vez fizemos o Pit Stop e foi tão bom e legal quanto imaginávamos! :)

Todos concordaram que tínhamos duas emoções distintas: pedalando durante a volta e no estresse do Pit Stop a cada 8 ou 9 min. Foi muito bom! :)

Alguns fatos mais relevantes durante a competição:
. Um biker e eu, da nossa equipe, erramos o caminho na primeira volta de cada um, acrescentando uns 20 segundos para voltar ao caminho certo;
. Tirando o primeiro biker, que no início pedalou 4 voltas direto, os outros pedalavam uma ou duas, dependendo do que cada um estava sentindo;
. Durante um pit stop, na hora da saída, quase que atropelamos uma competidora que estava distraída e entrou na nossa frente;
. O pneu traseiro da minha bike furou, após estar na metade do percurso, me obrigando a correr ao lado da bike por cerca de 2,5 km, quando cheguei e passei a tornolezeira para o próximo (a câmara furou ao lado do bico e não adiantou tentar enchê-la; como a câmara reserva e as espátulas estavam na área de descanso, não tive como trocá-la). Perdi cerca de 7 min com esta corrida à pé (tentei manter uma velocidade de 11 km/h correndo ao lado da bike), o que poderia ter permitido que, no final da prova, completássemos mais uma volta;
. Nossa equipe estava na segunda colocação nas duas parciais: às 14 e às 17 horas e terminamos o desafio como Vice-Campeões da nossa categoria: foram 36 voltas no total, terminando com 6 hrs e 05 min.

Ficamos aguardando a premiação, enquanto aguardávamos a premiação, que foi iniciada cerca de uma hora após o término.



Curtimos muito participar desta competição e já fizemos planos para ano que vem! :)

Pedalamos!

Galeria de Fotos

Para ver mais de 500 fotos sobre a competição, clique aqui.

Para ver os resultados clique nos links abaixo:
. Por categoria
. Por Tempos de Volta

sábado, 2 de novembro de 2013

Pedalando para o Trabalho - Bom treino e pedaladas fortes

Semana com 4 idas e 3 voltas, em função da participação na competição 3, 6 e 12 horas MTB Bombinhas SC, onde, junto com mais 3 bikers, competiria na modalidade quarteto - 6 horas.

Na segunda feira, aproveitando o bom clima, pedalei forte e gastei pouco mais de 56 min para chegar à empresa. Fizemos, eu e mais 2 bikers, um treino, antes do retorno, onde pedalamos em direção ao aeroporto, pegando muito vento contrário na ida e vento a favor na volta, onde pedalamos a mais de 40 km/h por vários minutos. A câmara do pneu traseiro da bicicleta de um dos bikers, nos fez parar duas vezes para enchê-la. Sob a Ponte Pedro Ivo um biker foi embora e continuamos em dupla até o trevo para o Cacupé, onde o outro retornou. Prossegui pedalando sozinho, chegando em casa após 56.2 km pedalados com uma média de 26.5 km/h. Foi um bom treino!

A pedalada de ida na terça feira foi similar à de segunda: bom clima e ótimo ritmo, chegando à empresa com menos de 58 min de pedal. A volta, pelo Rio Vermelho, foi tranquila e também num bom ritmo, apesar de muito vento.

Aproveitei a ausência de vento na quinta feira e pedalei forte, chegando a uma média de 29.5 km/h, completando a ida para a empresa em pouco mais de 54 min. Para compensar, na volta, o vento contrário forte apareceu, tornando a pedalada um pouco sofrida. Gastei mais de 1 hr e 7 min para chegar em casa!

Sexta feira foi dia de ida sem volta, pois deixaria a bike com meu amigo que me daria carona até Bombinhas-SC, onde participaria de uma competição. Desde o início, percebi a presença de um vento a favor e resolvi aproveitá-lo, pedalando forte. Em alguns trechos este vento se tornou lateral e atrapalhou um pouco, mas consegui manter a velocidade média alta e cheguei à empresa com pouco mais de 52 min pedalados e uma média de 30.5 km/h, estabelecendo o segundo melhor tempo do ano e encerrando a semana de pedalada sem nenhum tipo de problema ou susto!

Pedalei! :)


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Pedalando para o Trabalho - Ida e Volta com chuva

Voltei das férias na quarta e ao pedal para o trabalho na quinta. Esqueci de verificar a previsão. Aliás, quase nunca verifico.

Acordei com pelo menos 3 trovões muito fortes. Voltei a dormir e a chuva já havia passado. Apesar de sair um pouco tarde, resolvi ir pedalando.

O tempo estava bem úmido, mas não chovia. Após cerca de 12 min de pedal, percebi que o pneu traseiro da bike estava muito vazio. Parei em uma casinha de ponto de ônibus sem ninguém e comecei a trocar a câmera. Gastei cerca de 25 min e recomecei a pedalada. Pedalava num bom ritmo e percebi que não teria como escapar da chuva que chegou por volta do km 17. Foram quase 25 min de chuva média/forte, me fazendo chegar ensopado à empresa e com a bike cheia de areia!

Para 'ajudar', saia pouca água do chuveiro e não pude tomar aquele banho relaxante, mas apenas um 'banho tcheco' :) bem rápido.

A volta foi debaixo de uma garoa quase constante que chegou a parar em alguns momentos e ficou mais forte em outros, inclusive no final. Aproveitei a presença de um fraco vento amigo para pedalar forte e completar o trajeto em apenas 55 min, no único pedal desta semana.

Pedalei!

 

domingo, 13 de outubro de 2013

Pedalando para o Trabalho - Duas em uma

Em função de não ter pedalado tanto, resolvi registrar Duas semanas de pedaladas para o trabalho em apenas Uma publicação.

01/10 (ter) - Após vários meses, resolvi encarar o trajeto longo (Rio Vermelho / Morro da Lagoa) na ida para o trabalho. Infelizmente havia um vento contrário médio para forte que dificultou ainda mais, mas consegui chegar sem problemas à empresa. A volta foi em dupla até o viaduto novo na SC-401 (bairro Vargem Pequena), depois continuei sozinho e optei passar pelo caminho da Vargem do Bom Jesus, evitando o trânsito pesado da SC-403 e chegando em casa com uma boa média.

04/10 (sex) - O clima ajudou na pedalada de ida para a empresa, possibilitando uma pedalada bem agradável. O retorno foi pelo trajeto longo, também bem tranquilo e com um pouco de vento a favor em alguns trechos.

07/10 (seg) - Nova ida pelo trajeto longo, novamente com um pouco de vento contrário. Desta vez, devido ao preparo um pouco melhor, conseguir um bom desempenho. Para 'variar', retornei pelo trajeto longo :). Desta vez, pedalei forte e consegui uma ótima média. Para ajudar, quando subia o morro do Mirante da Mole, avistei dois bikers e decidi que tentaria alcançálos, o que aconteceu na estrada entre a Barra e o Rio Vermelho, pouco após a entrada para o projeto Tamar. Ultrapassei-os e eles vieram de carona no vácuo da bike. Acabei deixando-os para trás, mantendo um ritmo forte e cheguei em casa feliz com meu desempenho.

08/11 (ter) - Mais outra ida pelo trajeto longo. O clima agradável e a ausência de vento foram pontos positivos nesta pedalada. Já na parte final, passando pela Av. Rendeiras, toda de lajotas, ultrapassei um ciclista numa bike speed. Próximo à metade do Morro da Lagoa, ele me ultrapassou e sumiu. No final da descida do morro, foi minha vez de ultrapassá-lo. Um pouco antes (uns 100 m) de chegar à empresa, ele, ao me ultrapassar, fez um comentário e me deixou para trás. Logo em seguida o pega terminou :). O retorno foi em dupla com meu amigo de treino, desta vez pelas SCs, até o trevo para a SC-403, onde continuei sozinho, chegando em casa pouco depois.

10/10 (qui) - Utilizei o trajeto mais curto, na ida, passando pelas SCs, para chegar à empresa. Aproveitei o ótimo clima e mais uma ausência de vento para gastar apenas 1 hora para completar o trajeto. O retorno foi praticamente idêntico ao da última vez: em dupla pelas SCs, até a entrada para a SC-403. Desta vez pedalei pela Vargem do Bom Jesus, finalizando pouco depois outra semana de pedal!

Com tirarei 10 dias de férias, novas pedaladas para o trabalho somente por volta do dia 24 de outubro.

Pedalei!

sábado, 28 de setembro de 2013

Pedalando para o Trabalho - Dobrei novamente e Furos

Não foi fácil, pois enfrentei frio, vento contrário, sol forte e até furos de pneus, mas consegui dobrar novamente o número de pedaladas, em relação à semana passada, chegando a 4 pedaladas nesta semana.

A ida na segunda estava muito boa até a descida do Morro dos Ingleses, cujo o trânsito na via de rolamento estava engarrafado e uma pedestre, que atravessava a rodovia caminhando entre dois carros, entrou na minha frente, no momento em que eu atingia minha maior velocidade. Tentei avisá-la gritando, mas o que me salvou foi o reflexo que me permitiu desviar. O restante do percurso foi tranquilo. A volta foi de carro, com a bike dentro dele, pois tive que levar minha filha ao médico.

O clima estava muito bom para se pedalar na terça. A ida para a empresa foi tranquila e a volta decidi pelo trajeto longo (Morro da Lagoa / Rio Vermelho). Perto da metade do Morro da Lagoa, alcancei uma biker, reduzi meu ritmo e começamos a conversar. Ela mora na Joaquina e trabalha na Beira Mar Norte, passando por aquele morro na ida e na volta. Fomos em dupla até o trevo para a Praia Mole, quando ela seguiu para a Joaquina e eu virei à esquerda. O cansaço bateu após a Barra, bem como um frio,  e diminuí o ritmo, levando 1 hr e 28 min para chegar em casa.

Em virtude da minha esposa não estar se sentindo bem no início da manhã, comecei a pedalada de ida na quinta feira por volta das 11:20. Apesar do forte sol, um forte vento frio contrário diminuía o calor e também minha média de velocidade, me cansando muito. Gastei cerca de 11 min à mais do que nos outros dias para chegar à empresa, bem cansado.

Antes do retorno, participei do Desafio Intermodal Floripa 2013, onde partimos da UFSC em direção ao Largo da Alfândega, pedalando pela rota norte e passando pelo bairro Agronômica. Fizemos um grupo com 4 bikers e atingimos nosso objetivo sem problemas.

No início da volta para casa, fui em dupla com um dos bikers do desafio até o início da SC-401, quando ele foi para o Itacorubi e continuei em direção ao norte da ilha, num ritmo forte. Pouco após o trevo para Jurerê, num trecho sem iluminação pública, percebi que o pneu dianteiro estava bem murcho, o que me fez diminuir o ritmo e ser alcançado por um biker experiente que ia para Canasvieiras. Conversamos um pouco e nos separamos quando parei para calibrar o pneu: decidi não trocar a câmara, mas apenas enchê-la. Uns 4 km antes de chegar em casa tive que enchê-la novamente. Cheguei bem cansado!

A ida na sexta feira estava num ritmo lento, até um amigo biker dos Ingleses, com o qual já havia pedalado anteriormente, me ultrapassar e me incentivar a acompanhá-lo. Com muito custo eu consegui pedalar no ritmo dele. Mesmo assim, nas subidas, ele me deixava para trás e me aguardava. Fomos assim até o início da última subida, onde fiquei para trás e não mais o vi, pois saí da SC-401 logo após terminar a subida e descer. O cansaço tornou a sexta feira longa :)

Estava retornando num ritmo tranquilo de pedalada, à noite, pela SC-401, quando diminuí para ajudar um biker que estava pedalando com mochila e saco de dormir e sem qualquer iluminação, perto do trevo para Cacupé. Resolvi escoltá-lo e, ao mesmo tempo, iluminar o caminho dele, pedalando um pouco atrás e do lado. Tinha vindo de Itajaí, de ônibus, com a bike no porta-malas, e estava pedalando desde a Rodoviária em direção ao Ratones. Apesar do bagageiro na bike, não conseguiu fixar o saco de dormir, o que o incomodava bastante. Em função do engarrafamento, o ônibus atrasou, por isso estava pedalando à noite. A princípio não precisaria de iluminação, pois chegaria à tarde. Fomos conversando e ajudei-o até o centrinho do Ratones, de onde ele foi em direção ao Canto do Moreira.

Antes de voltar ao meu caminho, percebi que o pneu traseiro estava um pouco murcho. Enchi ele bastante e consegui terminar a pedalada sem problemas, desta vez com 4 idas e vindas em uma só semana!

Pedalei!


sábado, 21 de setembro de 2013

Pedalando para o Trabalho - Dobrei

Na prática passei de uma para duas pedaladas semanais, vindo na terça e na quinta, o que me fez dobrar! :)

A ida pedalando na terça feira foi muita boa! Um bom clima, propiciando um ritmo médio/forte, indo pelo caminho mais curto (sem desviar pelo bairro João Paulo). Um vento amigo no início da pedalada de volta me ajudou a pedalar num ritmo mais forte. Aproveitando o embalo, desviei pela Vargem do Bom Jesus, acrescentando quase 1 km à pedalada.

Na quinta feira a ida foi semelhante à de terça: bom clima e bom ritmo. Também teve uma tentativa de vácuo atrás de um ciclista numa speed, mas não consegui acompanhar. Cheguei com uma boa média à empresa. Pedalei num ritmo ótimo no retorno, mas só até a claridade diminuir e me deixar quase no escuro, aproveitando as luzes dos carros. Mesmo assim, gastei apenas cerca de uma hora para chegar em casa. 

Como havia previsão de muita chuva na sexta, o que foi confirmado no dia seguinte, optei por ficar somente nestas duas viagens casa x trabalho x casa.

Pedalei!

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Pedalando para o Trabalho - Boa ida, volta trabalhosa

Outra sexta feira com pedalada para o trabalho! O ótimo clima proporcionou uma boa pedalada, com uma boa média de velocidade, me permitindo gastar menos de 1 hr e 5 min para chegar à empresa, pedalando pelo bairro João Paulo.

Antes do retorno para casa, fui pedalando a dois lugares. Já não havia claridade natural quando iniciei o retorno através do bairro João Paulo novamente. Antes dos 10 min, uma constatação: pneu traseiro da bike furado. Após uns 20 min, que gastei para trocar a câmara furada, retornei à pedalar. Como estava bem escuro e a luz da lanterna estava muito fraca, tive que diminuir a velocidade, para evitar surpresas ingratas como buracos! Gastei mais tempo do que pretendia, mas cheguei são e salvo em casa, finalizando outra semana, de um só dia, de pedal.

Pedalei!


segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Pedalando para o Trabalho - 1a após o acidente

Numa linda manhã com o sol já se exibindo, saí mais cedo e preparado para um frio intenso que não havia. Desde o início eu achava que sentiria calor e estava correto.

As horas de sono não dormidas durante a semana e a falta de preparo já me garantiram um 'bom cansaço' desde o início. Mesmo assim fui num ritmo razoável e, aos poucos, aumentando a velocidade.

Após o Morro dos Ingleses o calor já incomodava um pouquinho e acabei tirando a parte da máscara ninja que usava sobre o nariz e a boca. Tirando este calor, o dia e a pedalada estavam bem agradáveis.
Optei por não forçar muito e por desviar pelo bairro João Paulo, mais seguro, ao invés de seguir pela SC-401. Cheguei à empresa após quase 1 hr e 10 min de pedal, bem suado e sem sustos no trânsito.

"Só de bermuda e camisa de ciclista? Tais com calor, hein!?". Este foi o comentário do meu amigo biker que me viu após chegar todo cheio de roupa, pela manhã, e estava me vendo antes do retorno. :)

Uma colisão de ventanias! A ventania vindo do Norte da Ilha fez a bike Ventania virar uma leve brisa, quase um sopro :), no retorno para casa. Retornei pelo bairro João Paulo. Nas SCs (401 e 403) eu sofri muito com a ventania contrária. Mais cansado do que na ida e com vento contra, tive que forçar a pedalada para manter uma média razoável. Nos últimos 20 min o dia escureu bem e acabei chegando em casa já sem claridade, finalizando minha primeira pedalada para o trabalho após o acidente.

Pedalei!


sábado, 24 de agosto de 2013

Pedalada para a Instalação da Ghost Bike

A manhã estava cinzenta devido à presença de muitas nuvens, sem sol e com uma leve garoa, além de um pouco fria. Parecia que até o tempo estava adequado para o evento de instalação da Ghost Bike em homenagem ao biker Everton Luiz Machado, 22 anos, atropelado/assassinado 7 dias antes. Como se fosse uma Missa de Sétimo Dia.


Comecei a pedalada no horário que havia sido programado para começar a instalação da Ghost Bike. Em virtude disto, tive que pedalar forte. Não consegui imprimir o ritmo que pretendia, mas consegui chegar, na SC-401, próximo ao Trevo de Ratones,  ainda a tempo de acompanhar a instalação. Fui cumprimentar os amigos. Infelizmente, alguns deles, somente vejo em momentos como este. Também fiz vários registros. Fotos e vídeo.

Após a fixação da bike, um breve discurso sobre o biker, sobre o acidente(?) e depois uma salva de palmas.

Iniciamos o retorno com escolta de carros (de um biker-motorista e da família do Everton), fizemos o retorno no viaduto que leva para Jurerê e fomos em direção ao Distrito de Santo Antônio e ao Caminho dos Açores. Ao desviarmos para o caminho que leva ao bairro de Cacupé, o grupo parou para aguardar alguns que tinham ficado para trás em função de problema mecânico. Aproveitei para me despedir e voltar para a SC-401, em direção aos Ingleses.

Passei pelos atrasados, cumprimentei-os e voltei num ritmo um pouco mais forçado, levando pouco mais de 30 min para chegar em casa, a tempo de ver a reportagem sendo exibida no Jornal do Almoço (RBS).

Pedalei! :)

Informações do Pedal
Dist.: 12.4 Km - Tempo: 0:32:40  - Média: 22.78 km/h (Ida)
Dist.: 37.8 Km - Tempo: 1:41      - Média: 22.46 km/h (Total)


Galeria de Fotos
Vídeo


sábado, 17 de agosto de 2013

Enfim, uma longa Pedalada

Não poderia ter pedido um dia melhor para meu retorno à uma longa pedalada: clima ameno e sem sol! :)

Meu objetivo era pedalar junto com a Bicicletada da Canasvieiras TC e, depois, ir pedalando até a Unidade da Unimed na Trindade, onde tinha uma consulta.

Saí de casa atrasado e ainda fui comprar um cadeado novo (quando furtaram a bike Guerreira eles arrebentaram o cadeado) e uma bateria para o ciclocomputador. Terminada a compra e instalados os acessórios, iniciei a pedalada, mais atrasado ainda.

Fui pedalando num ritmo médio em direção à garagem da Canasvieiras TC. Chegando lá fiquei sabendo que a bicicletada já havia partido em direção à Santo Antônio de Lisboa meia hora antes, mas num ritmo de passeio bem lento.

Tentei pedalar forte, mas um vento sul contrário me fazia diminuir o ritmo. Mesmo assim, após um pouco mais de 15 min, encontrei a bicicletada. Filmei e depois fotografei. Tive que continuar a pedalar, pois faltava 20 min e eu estava a cerca de 8,5 Km da Unimed. Mais uma vez o vento contrário me impediu de pedalar forte, mesmo assim eu tentava.


Após 1 hr e 13 min, cheguei à unidade da Unimed, tendo pedalado 27 km e atrasado 13 min para a consulta. Pelo menos fui atendido. :)

No início do retorno da pedalada, vejo um biker tirando fotos da magrela dele no meio da passarela e percebo que é um biker amigo, presidente da Viaciclo. Papeamos um pouco sobre vários assuntos. Nos despedimos e segui caminho, parando pouco depois, já na SC-401, no início da Curva da Morte, para fazer uns registros fotográficos sobre a obra. Veja abaixo que, além de não construírem passeio e/ou ciclovia, como manda a lei (artigo 5o, LEI PROMULGADA Nº 15.168, de 11 de maio de 2010), não deixaram nem espaço para acostamento.




Recomecei a pedalada e aproveitei um pouco do vento sul, que empurrava em alguns trechos. Faltando pouco mais de 10 km o vento começou a atrapalhar novamente e o cansaço apareceu. Mesmo assim mantive um bom ritmo e finalizei a pedalada após 1 hr e 2 min e 26 km pedalados.

Foi muito bom sentir novamente a sensação de uma longa pedalada! :)

Pedalei!

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Pedaladinha com duas Gatinhas

Cheguei em casa com o sol ainda brilhando, mas quase indo embora e com o clima um pouco frio.

Minha filha mais velha sugeriu uma pedalada, o que prontamente aceitei! A filha do meio também quis vir. Poucos minutos depois saímos. A do meio numa bike aro 16, com rodinhas, a mais velha numa aro 24 e eu na bike Ventania, aro 26.

Foi um passeio bem tranquilo e gostoso, próximo à nossa residência e com o ritmo determinado pela mais nova. Curtimos os 40 min de pedaladas junto com 'visitas' a alguns cachorrinhos da região.

Pedalamos!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Pedaladinha Noturna

Prosseguindo com o retorno às pedaladas, encarei um pedal noturno, de aproximadamente 13 km, quando saí da minha residência, nos Ingleses, por volta das 22 hrs, e pedalei até o Costão do Santinho.

Após bastante tempo, vesti novamente uma roupa de ciclista e curti uma boa pedalada, tentando manter um média razoável. Infelizmente a bateria do ciclocomputador acabou e não tive como verificar meu rendimento, mas curti muito esta pedalada!

Pedalei!

O Futuro do Ciclocross!

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Furto da Bike Guerreira

Ajuda!

Foi furtada do bicicletário da Administração Central da Celesc, no bairro Itacorubi, Florianópolis, na madrugada desta quinta (01/08) para sexta feira (02/08), entre meia noite e 1 da manhã, minha bike Guerreira (foto abaixo) companheira de muitos pedais, quase 20 anos de serviços prestados, quase uma filha...

Caso alguém tenha visto a bike Guerreira ou souber alguma informação, por favor, me avise...

Desde já agradeço pela atenção e por qualquer ajuda!

CicloAbraços, Biker



sexta-feira, 26 de julho de 2013

Aumentando a distância

Aproveitei a sexta feira, um belo dia de sol e não tão fria, para fazer algumas atividades:

  • Passar num posto de saúde, para tomar uma injeção;
  • Ir até um hospital e resgatar documentos da minha esposa que ela havia esquecido e
  • Encontrar uma clínica de fisioterapia, próxima do Shopping Iguatemi, onde já havia feito fisioterapia para minha perna, há alguns anos e onde pretendia contiuar a fisio dos meus dois dedos.

Cheguei de bike ao posto de saúde quando a sirene para o almoço tocava. Mesmo assim a enfermeira me atendeu.

Segui pedalando em direção ao hospital. Após chegar ao mesmo, resolvi encarar uma subida bem íngreme! A ideia era pedalar somente até a metade e empurrar no restante. Entretanto, percebi um pedreiro, no final da subida, me observando, curioso para saber se eu conseguiria chegar pedalando até lá. Resolvi topar o desafio e zerei o morro! :). Ao passar por ele, o mesmo comentou:
- Subidinha forte esta, não é ?
- Sim, respondi. Um pouquinho forte, mas já encarei piores! :)

Para finalizar, fui procurar a clínica. Ainda bem que estava de bike, pois custei a encontrá-la e, infelizmente, estava fechada, não funcionando mais. Por sorte, quando estava procurando pela clínica, encontrei outra que também estava fechada, mas somente para o almoço. Anotei os números de telefone e fui embora.

Desta vez foram cerca de 8 km pedalados, sofrendo um pouco quando pedalei numa rua de paralelepípedos. No mais, foi muito bom!

Pedalei!

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Pedaladas para o conserto


Foram duas, com percursos parecidos de 6 km, entre o Itacorubi e a Trindade, para fazer a troca do cabo de aço do câmbio traseiro da bike que havia arrebentado na última pedalada.

Na primeira pedalada, na terça-feira, saí da empresa por volta das 11:30, chegando 10 min antes do meio dia na loja/oficina de bikes. infelizmente, fecharia meio dia e reabriria à uma da tarde. Fui embora e ainda passei em mais duas: a primeira, no horário de almoço, somente vendia acessórios, não fazendo consertos e a segunda até consertava, mas tinha tantos clientes para serem atendidos por somente uma pessoa, que desisti.

No dia seguinte, mudei a estratégia: fui após o expediente. Deixei a bike numa oficina, fui à uma clínica próxima, peguei a bike arrumada, passei em um banco, voltei à clínica, à oficina e deixei a bike na empresa, finalizando a pedalada.

Curti as duas boas pedaladas curtas que me ajudaram a pegar mais confiança.

Pedalei!

sábado, 13 de julho de 2013

Retornando aos poucos

Voltei a trabalhar na quinta feira, dia 11 de julho, mas fui de carona de carro para o serviço, bem como na sexta.

Ainda não sinto confiança para encarar 27 km de trânsito pesado, sendo que meus dois dedos operados ainda não se recuperaram totalmente.

Na sexta estava marcada, às 14:00, minha sessão de fisio-tortura :). Às 13:45 ainda estava na empresa, distante cerca de 3 km da clínica, sem possibilidade de carro, ônibus ou caminhada para chegar ao local desejado. Não estava de carro e de ônibus ou caminhando chegaria bem atrasado. Foi então que olhei com carinho para a bike Guerreira e decidi: arrumei a corrente e saí pedalando!

Estava sem capacete, por isso resolvi ir num ritmo de passeio, deixando a corrente posicionada na coroa central e mudando somente as marchas das catracas.

Fui numa boa! Tomando muito cuidado na av. Madre Benvenuta e sentindo um pouco de dor ao passar em buracos e lombadas.

Cheguei à clínica após uns 10 min de pedalada. Feliz por ter chegado a tempo e mais ainda pela pedalada tranquila!

O retorno, por volta das 16 hrs, foi semelhante: voltei num ritmo de passeio, sem forçar. O chato foi, na subida do morrinho para chegar à empresa, quando o cabo de aço responsável por trocar as marchas das catracas arrebentou. Terminei de subir o morro empurrando a bike e pouco depois cheguei à empresa, desta vez levando cerca de 15 min.

Não foi muito, mas curti bastante!

Pedalei!


quinta-feira, 11 de julho de 2013

Bike Irada e Diferente

ElliptiGO Elliptical Bicycle Overview

Pelo que foi dito várias vezes no vídeo, uma das principais características desta bike é a performance. A bike permite ao ciclista (ou será, neste caso, ao pedalista :) uma ótima performance no asfalto. O asfalto mostrado no vídeo era lisinho, bem cuidado e sem buracos... Será que, aqui no Brasil, ela se adaptaria bem ? :)

Só assistindo para se uma opinião...


segunda-feira, 1 de julho de 2013

Após 40 dias

Não foi uma pedalada, mas apenas dois passeios curtos, totalizando cerca de 6.5 km, sentindo o vento no rosto, a liberdade, os músculos das pernas trabalhando e impulsionando minha bike :)

Após 40 dias que o acidente aconteceu. foi a primeira vez que pedalei. Mesmo pouco, Curti Muito!

Pedalei! :)


O vídeo abaixo  mostra Anne Caroline Chausson, Campeã Olímpica de BMX, fazendo manobras perigosas pelas ruas de uma cidade.

A campanha visa alertar os ciclistas sobre os perigos de se desrespeitar a regras de trânsito, mesmo que você seja fera na bike.


quinta-feira, 27 de junho de 2013

Vídeo: Pedindo mais segurança no trânsito

Propaganda na Noruega MUITO legal para pedir mais segurança no trânsito!



A mensagem no final quer dizer:


Para aqueles que não têm nove vidas

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Vídeo do 3º Marathon Márcio May Pedra Branca

Olá!

O vídeo abaixo é um resumo bem legal do que foi um Excelente Evento Ciclístico Internacional:


3o Marathon Márcio May - Pedra Branca


Além disso, ele está concorrendo à Promoção de Melhor Vídeo da Competição. 
Para ajudá-lo é bem simples: basta assistí-lo! :)

E, se gostou e puder compartilhar, agradeço em Dobro! :)
Ah! Pode vê-lo SEM moderação! :)

Link do Youtube: http://youtu.be/YmZ3grvjC-s

terça-feira, 11 de junho de 2013

Vídeo Sinistro

Mike Hopkins e Matt Miles foram explorar as montanhas do Bendor Range, um lugar onde nunca se tinha pedalado! É impressionante a inclinação do lugar e o tanto que as pedras são soltas!

Fonte: blog Pra Quem Pedala

 

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Vídeo Legal

Enquanto não retorno às pedaladas, para não deixar o blog parado, vou publicando uns vídeos legais de bikers, como este abaixo.

Abraços!

terça-feira, 21 de maio de 2013

Pedalando para o Trabalho - Acidente e Afastamento Médico

Ribeirão da Ilha - Florianópolis

Segunda feira, em função de chuva, não fui pedalando e quebrei minha série de 4 semanas completas.

A pedalada de ida na terça feira foi muito boa, num clima adequado para pedalar e gastei menos de uma hora para chegar à empresa. O retorno seria pelo Morro da Lagoa/Rio Vermelho, para treinar subida. Inclusive conduziria um amigo biker, que subiria o Morro da Lagoa pela 1a vez. Pena que a volta não demorou nem dois minutos, em função do acidente que aconteceu comigo (clique aqui para conhecer os detalhes) .

Meu amigo me ajudou, levando a biker Guerreira de volta para a empresa e a motorista que passou com a roda dianteira do carro sobre minha mão esquerda (a culpa não foi dela), me levou para uma clínica de ortopedia.

O que parecia ser uns ferimentos e uma ou duas fraturas simples, demonstrou ser caso de operação, quando o médico analisou as radiografias e me solicitou procurar um especialista em mão.

Sem previsão de retorno e afastado das magrelas por um bom tempo. Assim que possível, retornarei aos pedais!

Pedalei e Fraturei!

Vídeo muito legal sobre a competição Titan Desert

 

sábado, 18 de maio de 2013

Pedalando para o Trabalho - Semana difícil, mas completa

Praia do Morro das Pedras - Florianópolis
Iniciei a pedalada de segunda para o serviço com o dia clareando. Fui num bom ritmo e a pedalada foi tranquila. A volta foi durante a noite, após sair de uma loja de bikes, ao lado do Titri. No sinal que estava fechado para pedestres e bikers, quatro ciclistas aguardavam. Fui o primeiro a arrancar, mas logo depois percebi que um dos bikers estava numa velocidade um pouco melhor que a minha. Após me ultrapassar, comecei a perseguí-lo. Na subida da SC-401 perto do Tecnópolis, ele se distanciou. Mantive a pedalada forte e consegui alcançá-lo na subida do Trevo para Cacupé, ficando no vácuo dele até a subida do Coorporate Park, onde ele distanciou um pouco e depois sumiu. Acho que foi em direção a Santo Antônio. Mantive um forte ritmo e gastei menos de 53 min para chegar em casa.

Na ida de terça feira, após terminar de subir pedalando o Morro dos Ingleses, parei para tirar a blusa, pois estava com muito calor. Fui num bom ritmo e até 'bati um pega', na subida do morro do Cemitério - Floripa Shopping, com uma betoneira. Ela ganhou :(. Cheguei à empresa com menos de 58 min. A volta foi em 2-3-2 (dupla-trio-dupla): inicialmente acompanhando meu amigo de treinos que estava de speed. Depois passamos para trio, quando encontramos um biker quer mora nos Ingleses e voltou a ser dupla, quando meu colega foi para casa dele e eu fiquei pedalando junto com outro biker. Como nós dois estávamos de MTB, o ritmo diminuiu um pouco. Mesmo assim gastei menos de 55 min para chegar em casa, sem contar que proseamos bastante.

Quarta feira foi um dia tranquilo, com ritmo muito bom, tanto na ida, quanto na volta, gastando menos de uma hora de pedal em cada uma delas. Cheguei a pegar um pouco de chuva no retorno.

A pedalada de ida na quinta foi extremamente cansativa: cansaço acumulado, vento contrário muito forte e chuva fria. Gastei quase 18 min à mais em relação ao dia anterior. A volta foi com bastante frio, ainda cansado da ida e com um bom vento amigo, gastando pouco mais de 57 min para chegar em casa.

Sexta feira foi semelhante a quarta: ida e volta com menos de uma hora, sem problemas. Detalhe para a temperatura de 12 graus na ida.

Quarta semana completa pedalando para o trabalho.

Pedalei!

sábado, 11 de maio de 2013

Pedalando para o Trabalho - Frio chegando

Praia da Armação - Florianópolis - SC

A pedalada de ida na segunda feira foi com uma temperatura baixa: 12 graus (a mínima). Fui num ritmo mais tranquilo. A volta foi bem semelhante, apesar de estar um pouco menos frio.

Um vento contrário se fez presente durante a pedalada de ida na terça feira. Devido a este fato, demorei um pouco mais para chegar à empresa, além de chegar mais cansado do que o normal. Estava um pouco mais frio na volta, mas com um vento amigo ajudando em alguns pontos, levei menos tempo para chegar à casa de um amigo, onde fui resgatar o NoteBook que comprei e que leve levou para mim.

A volta do Biker Ninja :)
Quarta feira foi de congelar! Cheguei a pegar a temperatura de 6 graus durante a pedalada de ida. Fui bem agasalhado e quase não senti frio. Durante o retorno, após o futebol, novamente estava bem frio, chegando aos 9 graus. Voltei num bom ritmo, chegando em casa sem problemas.

A frente fria continuou durante a quinta, quando a temperatura mínima, durante a pedalada de ida, foi de 9 graus. Cheguei a pegar carona no vácuo de um biker de speed durante uns 5 km, até que ele saiu da SC-401. Um pouco antes dele desviar, o agradeci, ele respondeu e continuei pedalando. A volta também foi com baixa temperatura. Demorei um pouco mais, pois tive que passar num posto de correio, para enviar o Cartão do Dia das Mães! :)

De Bike para o Trabalho
No dia internacional da Bike para o Trabalho, a temperatura estava muito baixa na ida: 8 graus. Nesta pedalada eu ultrapassei a marca dos 12 mil Km registrados no ciclocomputador. Fui num bom ritmo, sem ter problemas. A volta, em função da luz do farol estar muito fraca e do cansaço, foi num ritmo mais lento, mas o suficiente para terminar tranquilamente a pedalada, terminando mais uma semana completa de pedal!

Pedalei!


Pedalando para o Trabalho - Frio chegando

Praia da Armação - Florianópolis - SC

A pedalada de ida na segunda feira foi com uma temperatura baixa: 12 graus (a mínima). Fui num ritmo mais tranquilo. A volta foi bem semelhante, apesar de estar um pouco menos frio.

Um vento contrário se fez presente durante a pedalada de ida na terça feira. Devido a este fato, demorei um pouco mais para chegar à empresa, além de chegar mais cansado do que o normal. Estava um pouco mais frio na volta, mas com um vento amigo ajudando em alguns pontos, levei menos tempo para chegar à casa de um amigo, onde fui resgatar o NoteBook que comprei e que leve levou para mim.

Quarta feira foi de congelar! Cheguei a pegar a temperatura de 6 graus durante a pedalada de ida. Fui bem agasalhado e quase não senti frio. Durante o retorno, após o futebol, novamente estava bem frio, chegando aos 9 graus. Voltei num bom ritmo, chegando em casa sem problemas.

A frente fria continuou durante a quinta, quando a temperatura mínima, durante a pedalada de ida, foi de 9 graus. Cheguei a pegar carona no vácuo de um biker de speed durante uns 5 km, até que ele saiu da SC-401. Um pouco antes dele desviar, o agradeci, ele respondeu e continuei pedalando. A volta também foi com baixa temperatura. Demorei um pouco mais, pois tive que passar num posto de correio, para enviar o Cartão do Dia das Mães! :)

De Bike para o Trabalho
No dia internacional da Bike para o Trabalho, a temperatura estava muito baixa na ida: 8 graus. Nesta pedalada eu ultrapassei a marca dos 12 mil Km registrados no ciclocomputador. Fui num bom ritmo, sem ter problemas. A volta, em função da luz do farol estar muito fraca e do cansaço, foi num ritmo mais lento, mas o suficiente para terminar tranquilamente a pedalada, terminando mais uma semana completa de pedal!

Pedalei!