segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Resumo das Pedaladas para o Trabalho em 2012

Percurso SCs (empresa x residência)
Segue um pequeno resumo:
  • Mês com menos pedaladas ( 6 ) para o trabalho: Fevereiro (férias)
  • Mês com mais pedaladas ( 20 ) para o trabalho: Maio
  • Total (aproximado) de Km pedalados: 9.871 Km
  • Média Mensal : 822.6 Km
  • Total de idas / voltas: 172 / 170
  • Nro de dias pedalados: 173 (14.4 dias por mês)
  • Dia da semana que mais pedalei: terça feira (39 vezes)


Legenda:
  • SCs - percurso: SC-401, SC-403 e bairro João Paulo (27.9 Km)
  • SCs menor - percurso: SC-401 e SC-403 (26.7 Km)
  • Trajeto Longo - percurso: Rio Vermelho e Morro da Lagoa (31.3 Km)
  • Outros - percurso indefinido, com quilometragem variável


Quantidade
Km
Idas
172
4770.91
Voltas
170
5100.47
Total
342
9871.38



Quantidade
%
SCs
38
11
SCs menor
69
20
Trajeto Longo
34
10
Outros
201
59
Total
342
100



Tempo Médio

Ida
Volta
SCs
1:00:32
0:59:21
SCs menor
---
1:00:44
Trajeto Longo
1:17:09
1:17:27



Menor Tempo

Ida
Volta
Distância (Km)
SCs
0:54:30
0:54:26
27.9
SCs menor
0:49:28
0:50:58
26.7
Trajeto Longo
1:11:11
1:09:56
31.3
Outros
0:49:28
0:54:24
26.9 / 27.3

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Pedalando para o Trabalho - Fim de 2012

Ribeirão da Ilha - Florianópolis - Foto: Dircinha SW

Foram somente dois dias de pedal esta semana, mas que valeram por 4! :)

Quarta feira fui pelo trajeto longo (Rio Vermelho/Morro da Lagoa). Fui num bom ritmo, mas cheguei ensopado de tanto suor: mesmo cedo, o calor úmido colaborou para isto. Foi muito bom descer o Morro da Lagoa sem veículos à frente. A volta foi após o futebol, onde novamente joguei na linha e fiquei muito cansado. Pelo menos tive ajuda de um forte vento amigo em vários trechos, mas que atrapalhava um pouco quando se tornava vento lateral. Havia um congestionamento de uns 5 Km para os motorizados, enquanto eu progredia pelo acostamento, eles 'curtiam' um trânsito quase parado. O incrível foi constatar que o motivo deste congestionamento era a curiosidade provocada pelos motoristas que reduziam bastante a velocidade para verem um acidente ocorrido na pista contrária! Quase cheguei aos Ingleses antes de um colega que retornou de carro.

A quinta feira foi complicada: um vento contrário constante me fez diminuir bastante o ritmo de pedalada e gastei quase 1hr e 30min para ir pelo trajeto longo novamente. Pelo menos fui apreciando a paisagem! :) Antes do retorno, fui trocar as pastilhas do freio dianteiro da bike, onde um dos lados estava muito gasto, chegando no metal e provocando um barulho horroroso ao frear. Também passei em uma agência bancária. Antes de iniciar a volta a chuva começou. Aguardei uns 10 min e mudei o percurso: ao invés de voltar pelo trajeto longo, retornaria pelas SCs, em função da chuva. E choveu durante toda a pedalada de volta. Aproveitei para usar as dicas de como pedalar durante uma chuva.

Cheguei em casa ensopado, mas feliz por nada de ruim ter acontecido. E esta acabou sendo minha última pedalada de 2012, pois um compromisso não me permitiu ir pedalando para o trabalho na sexta feira.

Pedalei, muito em 2012! :)

Com essa onda de forte calor, o vídeo a seguir é sobre MTB na neve! A parte da trilha à noite é insana! E eu que já perdi tempo e reclamei quando um prego pegou carona no meu pneu! Vendo o vídeo vc entenderá este comentário! :)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Pedalando para o serviço - 2TL, 3GB, Sprint, Prego e Temporal

Praia da Tapera - Florianópolis
A segunda começou com um 2TL (duplo Trajeto Longo: Rio Vermelho/Morro da Lagoa, ida e volta). Saí pedalando num bom ritmo com a bike Ventania em direção ao Rio Vermelho e pouco depois à Barra da Lagoa, onde encarei o fortíssimo morro que termina no Mirante da Praia Mole. Depois de passar pelo centrinho da Lagoa, nova subida muito forte, desta vez o Morro da Lagoa, chegando logo em seguida à empresa. O bom clima e a ausência de ventos contribuíram para uma boa pedalada. O retorno, tirando o trajeto que foi o inverso da ida, foi bem semelhante. No início ainda havia uma ventania muito forte, mas que estava restrita ao bairro Itacorubi. O restante foi tranquilo e consegui pedalar num ritmo um pouco mais forte do que o da ida.

Nova ida pelo trajeto longo, na terça feira, desta vez com a bike Guerreira. Aumentei um pouco o ritmo em relação ao dia anterior e sofri para subir o morro do Mirante da Praia Mole com a bike Guerreira. O restante foi tranquilo. Antes do retorno uma passagem no consultório odontológico e no Makro (no lado continental de Floripa). A volta foi conturbada: umas 4 quase paradas em cruzamentos, devido ao trânsito pesado, e um quase atropelamento de pedestre com uma trombada de frente em ciclistas: estava pedalando pela beira mar norte, quando um pedestre resolveu atravessar a ciclovia, sem olhar se vinha bike e de costas para o caminho onde eu estava pedalando. Consegui me desviar dele, embora a parte lateral (direita) da minha cintura tenha raspado no cotovelo dele. Felizmente o deslocamento provocado por essa leve colisão não foi suficiente para me jogar para a pista contrária, onde vinham dois ciclistas. Olhei para trás e gritei um "Presta atenção na ciclovia" e continuei. As quase paradas e essa leve colisão me fizeram diminuir a velocidade média e acabei pedalando num ritmo de passeio, feliz por ter chegado em casa sem maiores problemas.

A pedalada de ida na quarta feira foi tranquila, gastando cerca de uma hora para completar o trajeto, onde o calor e a umidade ajudaram a suar bastante. Joguei futebol, jogando na linha, antes do retorno. Devido ao clima, suei muito e me cansei demais. Ainda passei numa papelaria, alterando um pouco meu trajeto e me possibilitando passar pelas 3 Ghost Bike (3GB) na volta (uma na av. Madre Benvenuta e duas na SC-401). Como estava muito cansado, fui num ritmo tranquilo e minha intenção era mantê-lo, mas um "cachorro treinador" :) quis que fosse diferente, quando passei por ele e fui obrigado a acelerar para não levar uma mordida, pedalando num sprint de mais de 100 m à 40 km/h no plano! Felizmente ele parou sem me morder. Voltei ao meu ritmo anterior e cheguei em casa sem problemas logo depois.

Antes mesmo de sair pedalando na quinta eu já estava muito cansado. Comecei bem tranquilo e fui aumentando meu ritmo aos poucos. Quando estava na metade do caminho e já com uma boa média de velocidade, acabei presenciando um encontro extremamente desagradável: o pneu traseiro da minha bike com um prego de mais de 6 cm. O pneu novo foi furado e a câmara esvaziou em poucos segundos (devido aos grandes furos) e parei para trocá-la. Ainda bem que sempre estou com uma reserva. Pneu arrumado e recomei a pedalar. O cansaço voltou novamente e o ritmo diminuiu. Cheguei atrasado à empresa, mas pelo menos não fiquei na estrada.

O retorno aconteceu na sexta feira, pois na quinta houve uma 'ostrada' da galera do serviço, com muita birita e sem hora para acabar! :) Antes de sair, dei uma mini geral na bike: virei o pneu dianteiro que tinha sido montado do lado errado, calibrei melhor o pneu traseiro e ainda descobri que o freio estava travando esta roda. Pode ter sido um dos motivos que colaboraram para piorar meu cansaço na vinda de quinta feira.

Decidi pedalar pelo trajeto longo. Entretanto, antes de voltar, passei novamente na papelaria. Tudo indicava que não demoraria a começar a chover, mesmo assim rumei para o Morro da Lagoa. Na av. Rendeiras ultrapassei um biker que parecia ser atleta, mas não estava de capacete e nem de camisa. Deixei-o para trás, mas não por muito tempo. Aos poucos foi se aproximando e, na subida para a Praia Mole, me ultrapassou pedalando forte e me deixou bem para trás. Ainda faltava uns 25 km para mim. Resolvi não forçar muito para tentar acompanhá-lo. Mesmo assim, aos poucos fui me aproximando. Na subida para o Mirante da Mole cheguei a ficar na cola dele. Um pouco antes do topo, quando já estava ao lado dele, iniciou um temporal! Descemos freando a fortíssima descida do Mirante para a Barra da Lagoa. Logo após começamos a conversar e ele me disse que era tri-atleta e era de Jundiaí-SP. Mal nos falamos e ele se despediu, ficando por ali. Continuei pedalando ainda com muita chuva. Foram certa de 12 km sob um temporal. Depois da chuva passar, ficaram as poças d'água e de lama, principalmente no Rio Vermelho. Os últimos 7 km foram mais tranquilos. Ao chegar em casa, finalizando mais uma semana de pedalada, descobri que estava sem o celular, que acabei esquecendo na papelaria. Mais uma semana de pedal terminada.

Pedalei!

sábado, 15 de dezembro de 2012

Pedalando para o Serviço - Semana completa com Pneu rasgado

Prainha - Florianópolis - Foto: CR Imóveis
Fui de carro até a oficina mecânica, onde o mesmo ficaria e eu seguiria pedalando (bike Ventania estava dentro do carro). Aproveitei o bom dia para pedalar: temperatura agradável e vento a favor em alguns trechos, chegando com uma média de 28.5 Km/h à empresa. A volta foi complicada em função do forte vento contrário, me obrigando a pedalar forte para manter uma velocidade média razoável. Cheguei em casa extenuado!

O clima na terça, durante a pedalada de ida para o serviço, estava muito estranho: com sol, mas parecendo que a chuva começaria a qualquer momento. Fui pedalando num ótimo ritmo, quando o vento começou a mudar de direção, ao invés de continuar um vento a favor, passar a ser lateral e com rajada. Próximo ao trevo de Jurerê um susto: eu estava na SC-401, quando o motorista de um carro que vinha de uma estrada lateral, resolveu me ultrapassar pela direita, ao invés de aguardar alguns poucos segundos para me ultrapassar de forma segura pelo outro lado, e por pouco não me atropelou. Ainda passou por mim me xingando, como se eu quisesse entrar na frente dele para ser atropelado. Depois deste episódio, ainda presenciei uma nova mudança de vento, desta vez para um vento contrário. O retorno foi com a metade de baixo da boca, do lado direito, anestesiada após passar no dentista. Novamente passei por zonas de vento confuso (soprando hora para um lado, hora para outro) e vim num forte ritmo, chegando em casa após 58 min de pedalada.

Quarta feira 3D ou T12 (12.12.12 - 3 Doze ou Tripo 12 :) o clima ameno e a ausência de vento ajudou na ida para o serviço, quando gastei menos de 57 min para chegar à empresa. A volta foi após o futebol e tive que pedalar forte para poder chegar à audiência sobre a duplicação da SC-403. O cansaço não me permitia ir muito rápido, mas consegui chegar a tempo. Infelizmente esta audiência era sobre um empreendimento do programa "Minha Casa, Minha Vida" com recursos da Caixa. Dez minutos depois da minha chegada, a audiência terminou. Fiquei para uns salgadinhos e refri e continuei a pedalada para casa, que estava distante apenas 5 km e onde cheguei após uns 12 min de pedalada.

À esquerda: gasto; à direita: rasgado e câmara aparecendo
As pedaladas de quinta e sexta feira foram semelhantes: ida e volta em ritmo bem forte, aproveitando o bom clima e a ausência de vento, com destaques para:

  • o retorno de quinta feira quando, em virtude de um compromisso, gastei pouco mais de 52 min para chegar em casa, com uma média de 30.5 Km/h ;
  • e também para o de sexta feira, quando tive que trocar o pneu dianteiro, pois o que estava na bike estava rasgado (foto ao lado) em função de tanto uso. Fui obrigado a trocá-lo antes do retorno.


Semana completa!

Pedalei!


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Instalação da Ghost Bike #3 2012 na SC-401

O dia amanheceu propício para uma pedalada: não muito quente e com nuvens. Até o vento sul estava moderado, ajudando a refrescar e diminuindo o calor.

Saí de casa pedalando num ritmo bom, pois queria chegar ao local da instalação da Ghost Bike antes do grupo que vinha da Pista de Skate em frente ao Shopping Iguatemi.

Ao me aproximar do local do acidente  vi que nenhum ciclista estava presente e continuei pedalando até o elevado próximo ao Floripa Shopping. Às 10 hrs, não vendo o grupo de ciclistas, resolvi pedalar de volta para o local da instalação, desta vez pela avenida central do bairro Monte Verde, onde flagrei um caminhão estacionado na recém inaugurada ciclofaixa (bem pintada, bom asfalto e sinalizada, mas muito curta em extensão e largura).

Desta vez, ao chegar ao local, havia dois bikers já aguardando. Começamos a conversar sobre a instalação, as condições da pista, sobre estes assassinatos de ciclistas na SC-401 e logo chegou outro biker. Não demorou muito e o grupo contendo uns 20 bikers e um carro e uma moto de apoio também chegou. O carro parou na pista à direita e nós deitamos as bikes na SC-401.

Enquanto a bike era instalada, um congestionamento começou a se formar. Vários carros passaram por nós. A maioria apoiando o movimento, alguns poucos xingando, gritando e buzinando. A polícia rodoviária apareceu, quando já estávamos prestes a terminar. No início estavam intransigentes, mas aos poucos compreenderam nossa intenção e foram auxiliar o trânsito, nos deixando terminar a manifestação.

Terminada a instalação, deitamos na SC-401, estendemos algumas faixas e fomos embora. Pretendia pedalar com o grupo até o Floripa Shopping, mas, em função do pneu furado de um dos integrantes, todo o grupo parou aguardando a troca.

Resolvi voltar daquele ponto mesmo. Despedi-me da galera, atravessei a passarela e iniciei o retorno. Um vento amigo fraco colaborava para ir num bom ritmo, mesmo sem forçar muito. Não demorou e cheguei em casa, após participar da instalação da terceira Ghost Bike, somente em 2012, na SC-401.

Espero que esta seja a última, não somente neste ano, embora acredite que isto dificilmente não acontecerá novamente, por vários motivos, desde falta de infra estrutura (por exemplo acostamento) até velocidade excessiva, entre vários outros.

Pedalei e Instalei!

Mais Fotos da Instalação (Fotógrafo Fabiano Faga)


Protesto e Instalação Bicicleta Fantasma na SC 401 (08/12/2012) from Eco Consciencia on Vimeo.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Pedalando para o Trabalho - Ventaniópolis

Beira mar sul - Florianópolis - Foto: Danigarlet
Pedalei para o trabalho somente em 4 dias úteis esta semana. As 'estrelas'  dessa semana foram as ventanias e um destaque para a subida até as torres de alta tensão próximas ao Morro da Lagoa.

Ventania nas alturas
 Segunda feira fui pedalando com a bike Ventania, pois pretendia, junto com um amigo de pedal, pedalar pela Trilha da Antena. Fui num ritmo forte, aproveitando um vento amigo moderado. Tinha também um calor forte, já no início do dia, o que atrapalhava um pouco. Mesmo assim, levei apenas 58 min para chegar. Ao retornar, decidi conhecer o final da Trilha da Antena, subindo (escalando? :) o morro que leva às torres de alta tensão. Aproximadamente uns 80% de asfalto e o restante de trilha com terra e pedras. Fiquei alguns minutos admirando as lindas paisagens e retornei pelo Morro da Lagoa / Rio Vermelho, sofrendo com a existência de um vento contrário fraco/médio.

A pedalada de ida na quarta feira foi muito boa com um ritmo forte, mesmo com um vento amigo fraco/médio existente. Antes do retorno uma alteração na rotina: joguei futebol na linha, como um defensor moderno que joga na defesa e aparece como elemento surpresa no ataque: fui o artilheiro do futebol! Bem, como nem tudo é perfeito, o sol que estava forte e a correria que fiz, me deixaram bastante cansado. O retorno foi cruel: forte vento contra, um clima úmido com cara de chuva e muito cansaço. No final o elástico tensionador que fica no bagageiro saiu da posição, quase deixou a mochila cair e ainda se posicionou entre o pneu e o freio traseiro, quase me provocando um tombo. Felizmente nada aconteceu.

O esforço adicional do futebol fez diferença na quinta, quando comecei a pedalada de ida mais lento. Havia um vento amigo fraco. Perto do trevo para Jurerê, um ciclista de speed que vinha do trevo me ultrapassou e aproveitei para pegar uma carona. Minha velocidade passou de 32 km/h para 40 km/h assim que consegui entrar no vácuo da bike dele. Pena que não foi por muito tempo, apenas uns 2 km. O restante da pedalada foi tranquilo e cheguei com menos de uma hora de pedal à empresa. No retorno o cansaço, a forte ventania contra e as altas temperaturas (entre 32 e 34 graus) me castigaram bastante! Voltei em ritmo de passeio, mesmo tentando pedalar forte.

A pedalada de sexta foi semelhante a dos outros dias: um vento amigo fraco na ida, com o sol já forte e a volta com vento contra fraco, mas somente em alguns pontos, me permitindo gastar menos de uma hora de pedal até chegar em casa e fechar a semana.

Pedalei!

Cuidado ao tentar fazer isso nas ruas da sua cidade! :)

sábado, 1 de dezembro de 2012

Pedalando para o Serviço - Enfim, uma Semana Completa

Centro - Beira Mar Norte - Florianópolis - SC
Após vários meses consegui completar uma semana (com 5 dias úteis) pedalando.

A ida na segunda feira foi tranquila, num bom ritmo e com um bom clima, passando pelo bairro João Paulo. O retorno foi mais complicado: voltei pedalando pelo trajeto longo (Morro da Lagoa / Rio Vermelho) e, da Barra da Lagoa em diante, aproximadamente uns 20 Km, enfrentei um vento contrário médio e constante, com algumas rajadas. Mesmo assim a pedalada foi boa.

Bicicletário quase cheio
Na terça feira a ida foi semelhante à de segunda: bom ritmo e clima, passando pelo João Paulo, só que fui com a bike Ventania. Tinha tanta bicicleta no bicicletário que acabei fazendo um registro. Antes do retorno, pedalei cerca de 8.4 Km para ir à uma clínica. Desde que saí da empresa e durante o retorno, choveu. No início mais forte e depois amenizou um pouco. Para complicar, descobri que o banco estava abaixando, fazendo com que meu joelho doesse bastante e atrapalhando meu ritmo. Cheguei em casa ensopado, sujo de terra, com os dois joelhos doloridos e com a bike suja também. Aproveitei para resolver o problema do selim e lubrificar a Ventania.

Mesmo um pouco cansado, consegui manter um bom ritmo na quarta, mas sem desviar pelo bairro João Paulo, chegando à empresa com menos de uma hora de pedal. A volta foi após o futebol e num ritmo forte, aproveitando um vento a favor fraco e a claridade existente. Cheguei em casa depois de pedalar durante 55 min.

A  pedalada de ida na quinta foi bem semelhante a de quarta: clima e ritmo quase iguais. A diferença estava no cansaço acumulado, mas, mesmo cansado, cheguei com menos de uma hora à empresa. O retorno foi em trio, durante uns 2 km e em dupla até os 20 km. Como os dois estavam cansados e havia um vento contrário de médio para forte, nosso ritmo foi tranquilo e sem problema até chegar em casa.

Na sexta feira, a ida foi semelhante aos dois dias anteriores, mas com o acréscimo de alguns trechos com garoa. Também teve o 'detalhe' do esquecimento do capacete. Ainda bem que foi tudo tranquilo. A volta foi sem capacete, cansado e com vento contra. Cheguei em casa sem problema e feliz por completar a semana de pedalada!

Pedalei!

sábado, 24 de novembro de 2012

Pedalando para o Serviço - Agitada e com Mini Treino

Bairro João Paulo
Quase foi uma semana completa. Mesmo assim, fiz ótimas pedaladas, aproveitando o bom clima, mesmo com a existência diária de ventos.

Segunda
  • Um bom começo de semana, com ritmo forte e vento amigo colaborando na parte inicial. Cheguei a bater um 'pega' por uns 7 km com uma retroescavadeira que acabou me vencendo na subida do Floripa Shopping. Média de quase 30 km/h.
  • Retorno foi num ritmo mais tranquilo, mesmo porque estava desconfiando que o pneu traseiro estava vazio, o que foi confirmado depois, quando encontrei dois furos em função de arames bem pequenos (0.4 cm).
Terça
  • Mesmo com a presença de um vento amigo fraco, minha pedalada não rendia. Pedalava forte, mas a velocidade não correspondia. Cheguei bem cansado à empresa, onde constatei que os freios estavam travando a roda traseira. 
  • Consegui corrigir o problema dos freios. Eu e meu amigo de treino voltamos em dupla por uns 20 km. Ele de speed e eu de MTB. Chegamos a fazer uma média de 43 e 47 km/h, num trecho de aproximadamente 2 km, na reta após o pedágio. Inclusive passamos por dois bikers (um rapaz e uma garota, campeões em suas respectivas categorias) do Grupo Pedal Continente. Cheguei em casa com uma média de 30.6 km/h.

Quarta
  • Ida num bom ritmo, aproveitando o ótimo clima. Ao chegar à empresa, constatação de muitas bikes estacionadas no bicicletário.
  • Retorno após o futebol, com o último terço sendo pedalado no escuro.

Sexta
  • Saí de casa muito atrasado. Para minha sorte, o Nordestão (vento amigo na ida) estava presente. Para diminuir um pouco o atraso, pedalei muito forte e consegui fazer um excelente tempo, tendo uma média de 30.7 km/h.
  • Aproveitei a volta para fazer um mini treino: passei pelo bairro João Paulo, Cacupé (onde a garrafinha d'água caiu e voltei para recuperá-la, além da mochila ter quase caído, me obrigando a parar e reposicioná-la), Santo  Antônio de Lisboa, Sambaqui (com um morro muuuiiito inclinado), SC-401, SC-403 e Ingleses. Total de 37.5 km pedalados em 1hr e 29 min.
  • Mini Treino: Percurso via Google Map - Percurso via site GMap Pedometer
Altimetria do Mini Treino via Cacupé - GPSVisualizer
Altimetria via Google Earth
Pedalei!

Topo do Mundo! Trilha mais do que radical! :)

domingo, 18 de novembro de 2012

Treino 2TL

O treino hoje foi um Duplo Trajeto Longo (2TL; veja mapa abaixo): 
  • Ingleses x Rio Vermelho x Morro da Lagoa x Itacorubi 
  • Itacorubi x Morro da Lagoa x Rio Vermelho x Ingleses
O objetivo foi treinar para o 6o. Desafio Márcio May através de uma quilometragem aproximada e incluindo bastante subida, para tentar simular as fortes subidas que existem no percurso da competição.

O sol, mesmo sendo 8 hrs da manhã, já estava forte logo na saída e o calor foi aumentando com o passar do tempo. Na ida havia bem pouco vento a favor. Fui pedalando num ritmo forte, que diminuiu após a Barra da Lagoa, quando passei por duas subidas fortes e na avenida das Rendeiras, devido às lajotas. Subi num bom ritmo o Morro da Lagoa e pouco após chegava ao meio do trajeto.

O retorno foi um pouco mais complicado. Além de pedalar logo de cara pelos morros e pelas lajotas, encontrei vento contra (fraco e médio) em vários trechos do trajeto, principalmente na parte final, me fazendo diminuir bastante o ritmo. 

Com quase 2 hrs e 40 min, cheguei em casa bem cansado, com bastante calor e feliz pelo excelente treino.

Pedalei!

Informações do treino
  • Tempo gasto: na ida: 1:13:10 - no retorno: 1:24:20 - no geral: 2:27:30
  • Distância total: 62.1 km
  • Média final:  23.7 km/h
Altimetria Ingleses x Itacorubi

Altimetria Itacorubi x Ingleses


Exibir mapa ampliado

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Pedalando para o Serviço: Curta, Agitada e TranspoBike

Praia de Cacupé - Florianópolis - SC
Mesmo sentindo cansaço em virtude da participação na competição que aconteceu no domingo, fui pedalando para o serviço na segunda feira com a bike Ventania. Como me disseram, é um tipo de "descanso ativo", para soltar a musculatura. Saí atrasado, mas mantive um ritmo mais tranquilo, chegando à empresa sem problemas. Iniciei o retorno um pouco cansado, mas como estava bom para pedalar, fui aumentando o ritmo. Na subida após o Tecnópolis, o carona de um caminhão arremessou algo que bateu na minha cintura, provocando bastante dor. Infelizmente, quando entendi o que havia acontecido, não conseguir visualizar, com certeza, a placa do caminhão. Para sorte do covarde, neste dia o trânsito estava fluindo normalmente, o que me impediu de alcançar o veículo, mesmo pedalando forte. Por este motivo, minha média ficou acima do 30 km/h neste dia.

Havia muito vento na terça feira. Durante a ida, em vários trechos, ventos contrários apareceram. Como saí novamente atrasado, até tentei alcançar uma média alta, mas o vento não deixou, o que me atrasou um pouco e me fez chegar após pouco mais de uma hora de pedalo à empresa. Já na volta, o vento em vários trechos ajudava e em outros, quando ficava lateral, atrapalhava. Mesmo sem forçar muito, levei menos de uma hora para chegar em casa.

A quarta feira foi agitada. Durante a ida:
Belo Arco Íris
  • arco íris na saída de casa,
  •  maior parte do percurso com asfalto molhado e com poças d'água em virtude de muita chuva durante a noite;
  • vi um suspeito algemado e cerca de 4 policiais militares em volta, além de dois carros parados no acostamento, um de frente para outro e duas viaturas policiais paradas no acostamento da outra pista 
  • e a constatação da existência de duas câmeras de radar na estrutura do antigo pedágio da SC-401, para vigiar quem passa acima de 40 km/h, conforme as placas indicavam.
TranspoBike
Durante o retorno, após o futebol, pedalava forte, aproveitando o clima e o fato de ser a última pedalada serviço x casa da semana. Quase chegando em casa, passei por dois rapazes que transportavam um sofá de 2 lugares no bagageiro de uma bike. Parei e fiz o registro da TranspoBike :). Logo em seguida finalizei o pedal.

Pedalei!



Vídeo do 3o MTB São Pedro de Alcântara gravado pelo competidor Pedro Leandro Correia da Equipe Pedal Continente

terça-feira, 13 de novembro de 2012

3o MTB Marathon São Pedro de Alcântara - Relato

Foto: Elyandro Modro
Cheguei em São Pedro de Alcântara por volta das 8:10. Teria tempo suficiente para alongar, pedalar um pouquinho para aquecer, além de encontrar e conversar com outros competidores. Logo depois da bike ficar pronta, encontrei um colega de empresa, que estava ali para fazer a estreia dele em competições. Estava muito animado,  tendo até levado a família, e não via a hora da competição começar.

Foto: Elyandro Modro
O sol, de tão forte, já anunciava que sentiríamos muito calor durante a prova. Por isso, nem forcei muito no aquecimento. Mesmo assim, quando estava prestes a me dirigir para a largada, meu pneu dianteiro esvaziou repentinamente. Faltava pouco mais de 10 min. Troquei a câmara e verifiquei o pneu, não encontrando motivo para o esvaziamento. Procurei alguém com câmera reserva para me emprestar, pois tinha levado somente uma à mais. Felizmente o dono da Ciclo Vil Bikes permitiu que eu pegasse uma no quiosque que estava perto da linha de largada. Mais tranquilo, fui me posicionar, pois os competidores já estavam quase todos alinhados.

Foto: Elyandro Modro
Pouco após as nove horas, vieram as recomendações e também foi falado sobre a volta de apresentação: somente após passarmos pelo pórtico no final da volta é que a competição estaria valendo.

Foto: Elyandro Modro
Deve ter sido bem legal ver quase 200 ciclistas largando de uma só vez, ocupando as duas pistas existentes e partindo em direção à Angelina. Muita embolação no início, mas não vi tombo. A escolta continuou até o fim do asfalto, quando a galera começou a acelerar em direção à primeira subidona (2 km com várias inclinações e muito puxada). O pelotão de elite foi se distanciando. Tentei acompanhá-lo, mas não conseguia. A forte subida, o calor e o fato de estarmos no início da prova, me fizeram pedalar num bom ritmo, mas não o suficiente para acompanhar os primeiros. Mesmo assim, estava entre os 25 melhores. Após atingir o topo, antes de um trecho de forte descida, quase caí ao me desequilibrar numa curva.

Foto: Elyandro Modro
Depois do descidão, o percurso ficou mais plano. Fizemos um grupo de uns 4 ciclistas inicialmente e depois uns 8, onde revezávamos na liderança do pelotão. Ficamos juntos até recomeçar a parte das subidas, quando o preparo fez diferença e o grupo foi se espalhando.

Nesta prova consegui melhorar um pouco minhas descidas, mas ainda perco tempo em relação a outros bikers que se arriscam mais. Talvez o calor ou o meu preparo não estava tão bom, mas achei que eu não estava subindo tão bem como nas outras provas. Ou seja, houve uma melhora nas descidas, mas uma piora nas subidas. Acho que a piora venceu a melhora :(.

Não me lembro de ter pedalado por um percurso com tantas subidas como este da competição. E as descidas normalmente tinham uma placa no início delas com os dizeres: "Cuidado, Descida Perigosa". Ou seja, tinha que se esforçar subindo e se cuidar na descida, ficando tenso quase o tempo todo :).

Foto: Maicon
Com o passar do tempo, você vai pedalando próximo de alguns bikers. Às vezes ultrapassa, daqui há pouco é ultrapassado, mas o ritmo não se altera muito.

Faltando uns 15 km comecei a pedalar junto com um biker de uma categoria abaixo da minha. Conversávamos de vez em quando e até falei com ele sobre meu receio de cair em descidas fortes. No minuto seguinte, após passarmos pelos paralelepípedos da Casa Rosada, um competidor nos ultrapassou em uma descida, mas, logo em seguida, se perdeu na curva, indo para a valeta (areia solta, pedras, galhos) ao lado de um barranco, justo quando um carro subia na direção contrária. Eu e meu colega vimos toda a cena e ficamos apreensivos. A queda dele poderia ser fatal, se caísse para o meio da estrada e ainda poderia nos derrubars. Felizmente conseguiu controlar a bike e voltou para a pista. Parabenizamos ele por não ter caído, mas recomendei mais cuidado. Na curva seguinte, descobriu que o pneu tinha furado. Meu colega e eu continuamos.

Nós dois pedalávamos num bom ritmo, revezando a liderança. Quando meu colega questionou se tinha algum biker por perto, falei que um estava se aproximando. Após ver o competidor, ele disse:"Ah! É um competidor da sua categoria". Não pensei duas vezes, ultrapassei ele e falei: "Vamos aumentar o ritmo!". E assim começamos a ir um pouco mais rápido, cuidando para que o outro não chegasse. Deu certo, pois conseguimos ampliar a distância.

Foto: Elyandro Modro
Nos últimos 10 km o percurso estava mais tranquilo e conseguimos manter um ótima média. Havia um pelotão de 4 bikers à nossa frente, mas não conseguíamos nos aproximar. Após a última descidona, chegamos ao asfalto. Passamos por um biker PRO, que nos acompanhou, e por alguns da categoria iniciante. Logo em seguida chegamos aos paralelepípedos e eu liderei os outros dois até a linha de chegada.

Apesar de tudo, gostei do meu desempenho, tendo ficado em quinto na minha categoria. Meu colega de empresa também ficou em quinto na categoria dele. Pena que desta vez premiaram com troféu somente até o terceiro colocado.

Foto: Elyandro Modro
Fui me hidratar, comer frutas, conversar, entregar a câmera emprestada (que felizmente não precisei durante a prova) e descansar. Esperei os sorteios, desta vez não ganhei nada e saí logo em seguida, um pouco antes da premiação.

Na minha opinião, foi uma ótima prova, com um percurso bem forte para os PRÓs (e acho que tem mesmo que ser assim) e um percurso bem tranquilo para os iniciantes (também concordo que seja desta forma). Vários pontos de hidratação, mas que, em função do calor, talvez fosse necessário ter mais uns 3 pelo menos. No geral foi uma ótima organização e deixo aqui meu parabéns a todos aqueles que propiciaram esta excelente competição.

CicloAbraços, Biker

Resultados Oficiais

  • Posição na categoria PRÓ Geral: 29o. (79 participantes)
  • Posição na categoria PRÓ 35-39: 5o.
  • Distância: 45 km
  • Tempo: 01:54:31
  • Média: 23.6 km/h


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Pedalando para o Trabalho - Boas pedaladas

Praia de Santo Antônio de Lisboa - Florianópolis - SC
Semana com apenas 3 pedaladas, sendo um dia mais puxado, como um mini-treinamento para a prova de domingo (3o MTB Marathon São Pedro de Alcântara).

Minha primeira pedalada foi na terça feira, com a bike Ventania, quando fui num ótimo ritmo e cheguei à empresa sem problemas. A volta foi em dupla durante cerca de 60% do caminho, num ritmo tranquilo. Após nos separarmos, comecei a pedalar forte e resolvi aumentar o percurso, passando por Canasvieiras e Cachoeira do Bom Jesus, inclusive pelo Mirante. Foi uma bom mini treino.

A pedalada de ida na quarta foi ótima. Fiz uma média de 30.6 km/h e que poderia ter sido melhor, se não houvesse um grande congestionamento próximo à chegada na empresa. Antes do retorno, um problema: machucaram meu joelho esquerdo no futebol. Estava andando com dificuldade, mas conseguia pedalar :). Vim num bom ritmo e consegui chegar em casa numa boa, mesmo com o joelho ainda dolorido.

Na sexta-feira um vento amigo me empurrou durante a ida. Como meu objetivo era apenas pedalar sem forçar, já visando à prova de domingo, o vento colaborou bastante comigo. Também houve uma chuva fraca que ajudou a resfriar a pedalada :). A volta foi com vento contrário em vários trechos do percurso, um pouco de garoa no início, uma buzinada  de uma MALtorista que me assustou quando pedalava no acostamento e um ritmo tranquilo, para finalizar a semana.

Pedalei!
Vídeo da DogHill: uma cadela que acompanha um biker fazendo Downhill :)

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Treino Norte da Ilha

Aproveitando o excelente final de tarde, sem vento, sol baixando e um ótimo clima, pedalei quase 50 km pelo Norte da Ilha.

Foi Show de Bike! :)

Informações:
  • Percurso: Ingleses, Praia Brava, Jurerê Tradicional, Ratones, Vargem Pequena, Vargem Grande, Ingleses (clique aqui)
  • Distância: 49.6 km
  • Tempo: 1:58:07

Visualizar Treino Norte da Ilha em um mapa maior

Altimetria do Treino no Norte da Ilha

Pedalando para o Trabalho - Ventania na oficina


Praia de Sambaqui - Florianópolis - SC
Não foi uma oficina que teve problemas com uma ventania. Foi minha bike Ventania que levei para uma merecida revisão com troca do cassete e da corrente. A ida foi na terça e o resgate na quinta.

A pedalada de ida na segunda foi forte. Mesmo pedalando pelo bairro João Paulo, minha média foi de 30.7 km/h. O bom clima e a ausência de ventos colaboraram para este tempo. O retorno também foi pelo bairro João Paulo, mas num ritmo não tão forte. Levei pouco mais de uma hora para chegar em casa, sem problemas, com uma boa média.

Na terça fui com a bike Ventania. Desta vez um vento contrário castigou e o problema da marcha quase escapar em duas situações de risco, me confirmou que realmente era necessária a troca das peças com problemas (corrente e cassete). Felizmente cheguei bem à empresa.

Ventania após a revisão
 e troca de peças
Levei a bike para a oficina no horário do almoço. No início tinha um vento contrário bem forte. Depois virou um vento amigo e também mudou para vento lateral. Pedalei num bom ritmo, por cerca de 17.2 km até chegar à oficina, que se localiza no bairro Kobrasol em São José-SC e onde deixei a bike Ventania.

O resgate da bicicleta aconteceu na tarde de quinta-feira, véspera do feriado. Vim pedalando pela Avenida Expressa, atravessei a ponte (onde mais de cem Harley Davidson passaram por mim) para chegar à ilha, ciclovia da beira mar e depois as SCs (401 e 403). Foi uma pedalada bem tranquila e sem os problemas de marcha escapando, pois a bike ficou muito boa após a revisão e as trocas das peças.

Pedalei !

Bikers e bikes detonando nesta etapa de Copa do Mundo de Downhill de 2011

sábado, 27 de outubro de 2012

Pedalando para o Trabalho - Única e com problemas

Panorâmica da Praia de Daniela - Florianópolis
Semana quase sem pedaladas. Segunda e terça, em virtude de uma fadiga muscular, que 'ganhei' na competição de domingo, descansei. Quinta e sexta, em função de uma viagem da minha esposa, tive que ficar por conta das meninas. Sobrou somente quarta feira...

A ida foi tranquila, com o bom clima e uma ausência de vento em quase todo o caminho. Para compensar, a volta foi complicada. Após o futebol, fiquei um pouco no churras da turma e saí pedalando forte para chegar a tempo de postar uma correspondência, numa agência do correio cerca de 6 km distante. Após cumprir estava tarefa, voltei a pedalar, mas num ritmo mais tranquilo. Passando perto do posto de pedágio na SC-401, encontrei um biker com a camisa do Grupo Duas Rodas MTB. Ele estava ao telefone e decidi aguardá-lo para pedalarmos juntos, pois iríamos para a mesma direção.

Pedalávamos num bom ritmo, quando começamos a escutar um barulho estranho. Ele comentou que parecia vir da roda traseira da minha bike. Inicialmente disse que não devia ser  nada, mas uns 2 min depois constatei que o pneu estava totalmente murcho. Paramos e disse para ele seguir, pois ele tinha um compromisso e eu trocaria a câmara sem problemas (era o que eu imaginava). Após ele ir embora, troquei a câmara, mas achei estranho não encontrar um prego ou algo semelhante no pneu, pois a câmara esvaziou rapidamente. Infelizmente, após a troca, algo não estava correto e o freio estava travando o pneu. Conferi tudo e não encontrei o problema. Decidi desativar o freio traseiro e seguir. Só que havia um barulho muito estranho. Andei uns 200 m e parei novamente, desta vez num lugar bem iluminado, diferente de onde troquei a câmara, e vi que o pneu, perto do bico, tinha ficado posicionado incorretamente, fora do aro. Arrumei-o e desta vez ficou correto. Voltei a pedalar.

No total, contando com a postagem, troca da câmara e ajuste do pneu, acabei levando quase duas horas. Fui pedalando bem desanimado no final, mas consegui chegar em casa, finalizando meu dia de pedalada.

Pouco, mas Pedalei ! :)

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Relato da Participação no 1o. Praia do Rosa Bike Marathon

Tenda da Mormaii
Já havia muitos competidores no Mar Del Rosa, quando cheguei ao local da largada, neste domingo. Uma barraca da Mormaii oferecia copinhos com energético, água, adesivos e até protetor solar. Ótima iniciativa!

Fila para pegar o chip
Após uns 10 minutos na fila do chip de cronometragem, consegui obter o meu. Alguns competidores levaram mais tempo, em virtude da fila estar maior, mas conseguiram pegá-los. Fui prosear com a galera que conhecia.

Recomendações do organizador
O DJ mandava ver nas músicas e recomendações também eram passadas. Por volta das 10:10 a largada começou  a ser organizada, pois seria categoria por categoria a cada 1 min. Às 10:15 a primeira categoria largou e, por volta das 10:20, foi a vez da minha categoria.


Alinhamento para a largada
Consegui me manter no grupo dos 9 da frente (14 largaram na minha categoria). A turma estava tão focada em pedalar, que não viu uma das placas mandando virar à direita. O oitavo colocado foi quem viu e alertou a todos. Retornamos uns 30 metros e voltamos ao percurso correto.

Largada da Categoria PRO 35-39
Num trecho de trilha com areia fofa e grama, acabei ficando um pouco para trás, mas conseguindo me recuperar ao final de um subidão, antes dos 4 km percorridos. No meio da descida após o subidão, desci da bike, como outros competidores, para passar por um trecho de escada de madeira que terminava numa areia fofa e que levava ao primeiro trecho de praia. Ao chegar à praia, o grupo de frente da minha categoria já havia se distanciado.

Outro trecho de areia fofa para sair da praia e mais um trecho de trilha com areia fofa também, onde empurrei a bike em vários momentos. Logo em seguida, um subidão com pedras e um descidão com pedras nos fez voltar para a estrada de terra normal. Passei pelo centrinho da Praia do Rosa em direção à Praia Rosa Sul. No final da praia, pedalamos por um trecho de grama que logo depois se tornou uma trilha fechada (single track; para pedestres), onde a areia fofa atrapalhava o progresso. Também havia pedrões, fazendo com que alguns competidores empurrassem a bike enquanto outros levassem a mesma no ombro.

No final da trilha que saía da Praia Rosa Sul, chegamos à Praia da Luz. A partir desta praia, após 10 km pedalados, meu ritmo de competição mudou, pois, apesar de pedalarmos cerca de 4 km pela beirada da praia, a terra estava firme e consegui imprimir um bom ritmo, após alcançar e acompanhar dois competidores que pedalavam forte (um deles era da minha categoria). Neste trecho chegamos a pegar um pouco de lama onde um canal que ligava o mar à lagoa do Ibiraquera desaguava no mar.

Ao sairmos da praia e começarmos um longo trecho de lajotas, aumentamos o ritmo e fomos ultrapassando alguns competidores. Infelizmente, para mim, tive problemas na corrente/catraca, principalmente quando precisava pedalar forte. Mesmo assim, conseguia seguir junto com os outros dois, apesar de ficar para trás em alguns momentos. Chegamos a passar direto em uma placa que mandava virar. Por sorte fomos alertados por um competidor. Sofremos bastante nos trechos de estrada com muita areia, inclusive tendo curva com bastante areia fofa onde descemos da bike para poder passá-la.

Competidor chegando
Faltando menos de 5 km, o trio foi desfeito, quando o competidor da minha categoria ficou um pouco para trás. Aproveitei para ultrapassar o outro, que também diminuiu um pouco o ritmo. Ultrapassei vários competidores até que o biker do "trio" que não era da minha categoria, me ultrapassou novamente, faltando uns 900 metros para o final. Chegamos quase juntos, com ele alguns segundos à frente, após 1:43:34 de prova, pedalando por 40 km e com uma média de 23.17 km/h! O outro integrante do trio, chegou dois minutos após.

Descansei um pouco e fui cumprimentar o outro biker que chegou à minha frente. Logo em seguida, fui verificar minha colocação: infelizmente, dessa vez, por uma posição, não levaria um troféu para casa, pois cheguei na 6a. colocação.

Aproveitei da infra estrutura: frutas, água e energético, enquanto via outros bikers chegando. Também fui conversar com amigos que estavam por lá e comentar sobre a prova. Após cerca de uma hora, fui embora: a fome estava apertando! :)

Mal sabia que ainda teria uma forte emoção: ao retornar para a pousada, tinha que passar por uma rua de terra com várias subidas e descidas, onde as subidas eram predominantes e com vários cachorros que não gostavam de ciclistas! :) Cansado e com um forte sol na cabeça, pedalava num ritmo tranquilo. Após uma descida e já tendo passado por uns dois cachorros que me perseguiram, mas sem chegar muito perto, um cão de porte médio veio latindo em minha direção e chegou inclusive a bater a boca na minha perna, mas sem mordê-la. Na mesma hora gritei com raiva na direção dele:"Tá doido!? Latir pode, MORDER NÃO!!!". Provavelmente ele não entendeu o que eu disse :), mas a forma como falei o fez parar de correr, baixar a cabeça e olhar para o outro lado, não me incomodando mais. Pouco depois terminava minhas aventuras ciclísticas deste dia! :)

Para finalizar, gostaria de elogiar à organização do 1o. Praia do Rosa Bike Marathon pela excelente competição que nos foi proporcionada, num lugar tão lindo. Quem curte Mountain Bike, certamente aprovou este evento. Tem alguns detalhes que podem ser melhorados, mas pode-se dizer que começaram com o 'pedal direito' ! :)

Pedalei e Competi!


Vídeo feito pelo Pedro Leandro que retrata boa parte do trajeto, 
exibindo os trechos mais complicados

sábado, 20 de outubro de 2012

Pedalando para o Serviço - Mini Treinos, dupla e ventos

Praia do Forte - Norte da Ilha - Florianópolis

Esta semana foi de pedaladas com a bike Ventania, mini treinos, ventos e retornos em dupla.

A pedalada de ida na segunda foi tranquila, um bom clima e usando a bike Ventania, consegui fazer uma boa média. O retorno foi em dupla, eu usando uma mountain bike (MTB) e meu amigo uma speed, até Santo Antônio. Depois passei pelo bairro Ratones e também pela Cachoeira da Vargem Grande, chegando em casa logo em seguida, após 36.1 km pedalados em 24.4 km/h (um mini treino).

Mini treino de segunda - trajeto e altimetria
A ida na terça também foi tranquila, novamente passei pelo bairro João Paulo e fiz uma boa média, até chegar à empresa. O retorno foi mais radical. Fizemos outro mini treino, desta vez passando pelo Morro da Lagoa/Rio Vermelho. Como tinha um vento contrário forte, meu colega com a speed pedalava à frente. Fomos até o trevo do TICAN, quando ele continuou e eu retornei. Desta vez foram 41.5 km pedalados com uma média de 24.1 km/h.

Mini treino de terça - trajeto e altimetria
Quarta feira, em função do cansaço, não pedalei. Na quinta feira, fui num ritmo tranquilo, só girando, mesmo com um pouco de vento amigo. Na volta, outro retorno em dupla, desta vez até a SC-403. Novamente, em função do vento contrário, meu colega de speed foi à frente. Pouco depois de nos separarmos, cheguei em casa.

Para economizar forças para a competição de domingo na Praia do Rosa em Imbituba, descansei na sexta feira, sem  pedalar.

Pedalei e Treinei! :)

ps: as altimetrias exibidas foram em função do uso do Google Maps em conjunto com o Google Earth. Achei bem legal! :)

Vídeo simplesmente D+